Opinião

Francisco Cordeiro

Vida ou lucro?

A polémica sobre a Celtejo foi-se diluindo com o tempo, mas os problemas de poluição no rio Tejo têm persistido.

Helena Pinto

Aborto: 2007 – Quando a dignidade venceu o obscurantismo

Dez anos depois: menos abortos, menor reincidência, mais contracepção, zero de mortalidade materna.

Bloco em Alcanede

Alcanede

Resposta do Bloco de Esquerda aos esclarecimentos das Águas de Santarém

O Bloco de Esquerda de Santarém não se revê nos esclarecimentos dados pelas Águas de Santarém no que toca à situação de Alfange denunciada em 19 de Julho.

Em primeiro lugar o investimento de 50 milhões é apenas uma cifra para mostrar despesa, o que importa é que se formos a Alfange vemos e cheiramos Esgotos a céu Aberto de águas não tratadas. De seguida é referido que as águas em causa estão dentro dos parâmetros, parece-nos pelas regras da experiência e pelo cheiro e textura que vimos que isso facilmente se prova que não corresponde à verdade, e temos todo o gosto em que as Águas de Santarém analisem as águas em causa e nos mostrem os resultados.

Teresa Ferreira “afirmou que muitas vezes as situações não são detetadas porque a origem está dentro das próprias casas, e só em situações de obras ou de alertas é que chegam ao conhecimento da empresa”, ora isto é um insulto à população de Alfange, pois o caudal volumoso só comprova que por laxismo, falta de competência, ou má-fé (ou todas as anteriores) torna essas declarações numa impossibilidade de facto, pois uma descarga pontual nunca teria aquela dimensão nem caudal. O que se passa em Alfange é diário e dura há vários anos como facilmente se comprova trocando impressões com moradores e observando as infra-estruturas em causa, sendo prova de que existe uma descarga propositada para aquele local, e que é proveniente inclusive de outros pontos da cidade.

Não podemos deixar passar em claro a atitude do edil da capital de Distrito, que lava as mãos como pilatos de uma situação que tem obrigação de conhecer, para a qual deveria ter uma palavra, e uma solução, ou não fosse o munícipio o detentor desta empresa, demonstrando que não tem um plano para a cidade e que nem consegue cumprir a Constituição da República Portuguesa edificando um sistema de saneamento básico dando o mínimo de condições a uma população que sabemos que se encontra fragilizada, se não falássemos de um bairro humilde talvez a questão já estivesse resolvida e se os mandatos não servem para resolver necessidades básicas da população, não servem para nada.

Bloco de Esquerda de Santarém debate bem estar animal

Um piquenique vegetariano no miradouro de S. Bento, serviu de pretexto para debater o bem estar animal no nosso país e no nosso concelho.

Com a presença das convidadas Inês Ferreira, ativista pelos direitos dos animais, e Maria Manuel Rola, deputada na Assembleia da República, falou-se desde a mais recente legislação que proíbe os abates em canis até à utilização de animais em circos e touradas. Foram também discutidas formas de diminuir o atropelamento de animais nas estradas e problemas relacionados com o transporte de animais vivos.

O Bloco de Esquerda de Santarém estará atento e fará todos os possíveis para que o bem estar animal melhore em todas as vertentes. É com tristeza que se nota a inação do executivo em relação a este tema, muitas vezes não cumprindo a lei (como é o caso da inexistência de programas de captura e esterilização de animais errantes), assim como contradições na informação disponibilizada aos grupos municipais e associações de direitos dos animais.

Os animais são seres sencientes e merecem o nosso respeito!

Francisco Cordeiro

Concelhia do Bloco de Esquerda reflete sobre discriminações

O filme vencedor de três óscares "Moonlight" foi o pretexto para o debate de idéias que juntou sábado à tarde um grupo de interessados em refletir sobre questões de igualdade, diversidade e cidadania.

O participado debate, que se seguiu ao visionamento do filme, contou com a presença do ativista Sérgio Vitorino, do coletivo Panteras Rosa. Partindo das questões de racismo e homofobia, que o premiado filme invoca, o debate alargou-se à realidade portuguesa. As mudanças legislativas, os novos movimentos sociais de ciganos e migrantes, as transformações sociais em falta, o futuro próximo do movimento LGBT+ nacional, a relevância da educação para a diversidade ou as restrições do sistema binário de género foram algumas das temáticas discutidas. 

O 1º Cine Arco-Íris continua, com o filme Appopriate Behavior, a exibir no dia 28 de abril pelas 16 horas, na sede do Bloco de Esquerda de Santarém. O evento aberto e gratuito contará como a presença de um convidado do site noticioso LGBT Dezanove.